A imagem mostra uma pessoa em um carro apontando para um um celular com mapa

Empresários sem inteligência de dados são como motoristas sem GPS

Um dos maiores desafios enfrentados pelas empresas na atualidade está na administração da grande quantidade de dados. Diferente do que se imagina, transformar esses dados em informação não é uma missão fácil. Trata-se de um trabalho de extrema complexidade, e a inteligência de dados é fundamental para a sobrevivência de qualquer empresa.

Segundo a pesquisa realizada pelo IBGE sobre a Demografia das Empresas e Estatística de Empreendedorismo 2017, a mortalidade das empresas é de 60% nos primeiros cinco anos. De acordo com um estudo realizado pelo SEBRAE, uma grande parcela das empresas afirmam que se tivessem acesso a melhores mecanismos de gestão e planejamento teriam evitado o fechamento de seus negócios. Isso poderia ter sido evitado caso a inteligência de dados fosse implementada nos processos de gestão e planejamento dessas empresas.

Para manter sua empresa competitiva no mercado, o gestor deve conhecer o comportamento de seu negócio em profundidade, analisando os dados históricos e projetando cenários futuros. Dessa forma, as decisões tomadas são mais acuradas. Isso significa ser Data-driven, ou seja, orientar suas decisões baseando-se em inteligência de dados.

Esses mecanismos de gestão são fundamentais, porque permitem insights que possibilitam o aumento de produtividade, do potencial de conversão em vendas, da otimização de custos, do ganho da previsibilidade e outros benefícios que podem aumentar a expectativa de vida das empresas.

Para que fique claro, entro com uma analogia que gosto de usar: o gestor de uma empresa sem inteligência de dados é como o motorista profissional que dirige em uma metrópole sem GPS. O motorista não consegue acessar rotas mais curtas e eficientes para chegar onde deseja.

Inteligência de dados é o seu GPS

Talvez o motorista seja experiente e conheça todos os caminhos possíveis para chegar ao destino e, por isso, não utilize um aplicativo de navegação. Entretanto, sua experiência não permite que ele preveja acidentes, engarrafamento, ruas eventualmente bloqueadas, entre outros imprevistos pelo caminho. O que dificulta o acesso dele a melhores rotas, impactando negativamente na sua produtividade e elevando seu custo de combustível, o que reflete na queda de sua lucratividade.

Como gestor, você é o motorista da sua empresa. E a inteligência de dados aplicada a negócios é o GPS que deve guiar sua trajetória. Então, imagine que você esteja em uma competição e precise cruzar uma metrópole mais rápido que seus concorrentes. Eles já conhecem a cidade e preferem seguir pelos caminhos que já fazem. Por outro lado, mesmo sabendo as rotas possíveis, você pode utilizar o seu navegador e chegar antes dos demais.

A IBM aponta que as grandes empresas analisam apenas 1% dos dados. Talvez você esteja no mercado a menos tempo e não tenha o mesmo ou maior porte do que as outras empresas. Entretanto, pode largar na frente se conseguir transformar seus dados em informações estratégicas.

Com a inteligência de dados as decisões durante seu trajeto serão mais aperfeiçoadas e as chances de crescimento no curto e médio prazo aumentam significativamente. Você poderá resolver ou até mesmo evitar acidentes pelo caminho e, dessa forma, faz com que sua empresa se destaque entre os concorrentes.

Mas afinal, o que é inteligência de dados?

Trata-se de um recurso utilizado para ordenar e cruzar os dados de sistemas diferentes. E tem o objetivo de obter insights de negócio que norteiem os processos de tomada de decisão.

Com a analogia acima você já sabe que, quando em prática, a inteligência de dados traz resultados para seu negócio. Porém, se estes dados não forem trabalhados corretamente, as informações extraídas podem ser equivocadas. Isso leva o gestor a acessar caminhos ineficientes. Por isso a importância de se ter um profissional especialista na implantação dessa metodologia. Conhecidos como Data Translators, esses profissionais traduzem os dados internos e externos para informações estratégicas para a aplicabilidade prática ao negócio.

Diante das informações, as áreas de vendas e marketing conseguem direcionar o discurso de forma mais eficiente e engajadora. Além disso, ao visualizar tendências e comportamentos específicos é possível identificar oportunidades e ameaças que influenciam a empresa, clientes e o mercado de atuação em que está incluído. A inteligência de dados precisa estar no cerne de um bom planejamento, embasando as estratégias a serem definidas.

A inteligência de dados na prática

A análise do comportamento de indicadores executivos – métricas de retenção, churn, potencial de consumo no tempo de vida, entre outros – dentro de cada cluster de clientes, por exemplo, pode ajudar as empresas na definição de públicos-alvo mais aderentes. O planejamento de estratégias com maior potencial de conversão também é um dos benefícios que a inteligência de dados traz.

Além da assertividade com clientes e prospects, a inteligência de dados traz para sua empresa informações relacionadas à receita previsível e clientes com maior chance de retorno e/ou retenção, até mesmo aqueles com menos chances de efetuar novas compras. Com isso, você consegue prever algumas situações e tomar ações que aumentem o seu potencial de conversão. Dessa forma, as empresas alcançam melhores resultados.

Não seja o motorista sem GPS

Acredito que já consegui convencer você o porquê a sua empresa, independente do porte, precisa de inteligência de dados para se manter viva no mercado. Tenha sempre em mãos informações aprofundadas sobre o seu negócio. Dessa forma, você consegue prever cenários, entender tendências e estar preparado para desviar de eventuais “faróis quebrados”, “acidentes” ou “engarrafamentos”.

Precisa de ajuda para implantar mecanismos de gestão Data-driven na sua empresa? Entre em contato conosco!